14/09/2018 15:25

Saúde inicia Campanha ‘Hora H’ contra hanseníase em Ibiporã

Campanha tem o objetivo de avaliar indivíduos que têm contato com pessoas que trataram a doença nos últimos cinco anos. Ação iniciada nesta quarta-feira (12) vai até 31 de outubro

Fotos Crédito: Arte: Camilla Arisa/NCS/PMI

Fonte: Núcleo de Comunicação Social/PMI. Com informações do Ministério da Saúde

A Secretaria Municipal de Saúde de Ibiporã iniciou nesta quarta-feira (12) a Campanha “Hora H” de combate à hanseníase, a qual tem o objetivo de avaliar 80% dos indivíduos (78 de 97 contatos) que têm contato com pessoas que trataram a doença nos últimos cinco anos no município (cerca de 30), para possíveis diagnósticos precoces. A ação será realizada até o dia de 31 de outubro.


Para a avaliação, primeiramente, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estão realizando o agendamento dos atendimentos com as pessoas alvo da Campanha, para, posteriormente, realizarem uma consulta com um enfermeiro ou médico. Após o atendimento, os profissionais de saúde deverão realizar o preenchimento do roteiro para avaliação dermatoneurológico de caso suspeito de hanseníase e a ficha de controle de contatos, de cada pessoa examinada.


A hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa, cujo agente etiológico é o  Mycobacterium leprae (M. Leprae). Esse bacilo tem a capacidade de infectar grande número de indivíduos, no en­tanto poucos adoecem. A doença acomete principalmente pele e nervos periféricos podendo levar a sérias incapacidades físicas. É de notificação compulsória em todo o território nacional e de investigação obrigatória.


Esta doença pode acometer pessoas de ambos os sexos e qualquer idade em áreas endêmicas. Entretanto, é necessário um longo período de exposição e apenas uma pequena parcela da população infectada adoece.


O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza o tratamento poliquimioterápico (PQT), recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é a associação de Rifampicina, Dapsona e Clofazimina. Essa associação diminui a resistência medicamentosa do bacilo, que ocorre com frequên­cia quando se utiliza apenas um medicamento, e impossibilita a cura da doença.


Capacitação – Um dia antes do início da Campanha, na última terça-feira (11), no auditório do Centro Tecnológico do Trabalhador de Ibiporã (CTTI), a Secretaria Municipal de Saúde promoveu uma capacitação, destinada aos profissionais da atenção básica e da rede assistencial de saúde do município, para detecção do diagnóstico precoce e tratamento, e a vigilância dos contatos de hanseníase. O evento contou com palestras do dermatologista do Cremi, Rafael Garani, que proferiu sobre o diagnóstico clínico, a classificação e o tratamento da doença; da fisioterapeuta da Divisão de Vigilância Epidemiológica da 17ª Regional de Saúde, Luciana Sipoli, que apresentou o panorama epidemiológico da hanseníase – ficha de notificação; da fisioterapeuta do ambulatório de fisioterapia da Secretaria Municipal de Saúde de Ibiporã, Mariana Queiroz, que orientou como realizar a avaliação dos contatos de hanseníase (exame dermatoneurológico); da coordenadora da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Vanessa Cristina Luquini, que falou sobre a Campanha “Hora H”; e da coordenadora da Divisão de Programas de Saúde da SMS, Tissiane de Mattos, que apresentou o fluxo de atendimento e operacionalização da Campanha.