-

Dia de sol, com nevoeiro ao amanhecer. As nuvens aumentam no decorrer da tarde.

12/02/2019 11:16

Saúde intensifica alerta sobre vacinação contra a febre amarela

Confirmação de dois novos casos no Paraná reforça pedido para que população entre 9 meses e 59 anos procure uma UBS para se imunizar

Vacina contra febre amarela está disponível em todas as UBSs

Fotos Crédito: Reprodução

Fonte: Caroline Vicentini. Núcleo de Comunicação Social/PMI. Com informações da Agência Estadual de Notícia

A confirmação pela Secretaria da Saúde do Paraná, na semana passada, de dois novos casos de febre amarela elevando para três os registros da doença no Estado (dois casos em Adrianópolis, na Região Metropolitana de Curitiba, e um em Antonina), reforça o alerta para que a população procure as unidades de saúde para se imunizar. Esta é a única forma de evitar a infecção, lembrando que a vacina precisa de dez dias para começar a fazer efeito.


Em Ibiporã, a vacina está disponível gratuitamente em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para pacientes que tenham de nove meses a 59 anos de idade, sendo que apenas uma dose é o suficiente para proteger por toda a vida. “Caso a pessoa não tenha se imunizado ou tenha dúvidas deve procurar a UBS de sua referência, tendo em mãos documentos pessoais e a carteira de vacinação, para que possa ser avaliada a situação vacinal”, orienta a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Vanessa Luquini.


Nesta segunda-feira (11) equipes de saúde iniciaram uma ação nas áreas rurais, visando a avaliar a situação vacinal e repassar orientações aos moradores.


A vacina é contraindicada para gestantes, mulheres que estejam amamentando, histórico de reações anafiláticas a ovo de galinha e seus derivados, imunodeficiência congênita ou secundária por doença (HIV, neoplasias), ou por tratamento (uso de  drogas imunossupressoras, radioterapia).

 

Febre amarela

 

A febre amarela é uma doença infecciosa grave que pode ser transmitida pela picada de dois tipos de mosquitos, o Aedes Aegypti, ou o Haemagocus Sabethes.

 


A febre amarela silvestre é transmitida pela picada do mosquito Haemagogus Sabethes, que pica o macaco Gibão, que frequentemente possui o vírus circulante no sangue, e depois pica o homem. Já a febre amarela urbana é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue. Recomenda-se o uso de repelente para evitar mosquitos, especialmente nas áreas de mata, onde proliferam os dois tipos de mosquito transmissores. 

 

Os sintomas iniciais da febre amarela são febre alta de início súbito, associada a dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dor no corpo e dor abdominal. O problema é que esses sintomas “se confundem com outras doenças como leptospirose, gripe ou dengue”. Esse é um dos motivos para que a população, em primeiro lugar, tome a vacina – disponível em todo Paraná – e, depois, procure atendimento médico aos primeiros sintomas para receber os cuidados necessários.