-

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

02/01/2020 15:18

CRAS e CREAS recebem R$200 mil de repasse do governo estadual

Secretaria de Assistência Social aderiu ao cofinanciamento estadual do incentivo denominado Aprimora CRAS e CREAS para aquisição de equipamentos

As duas unidades do CRAS de Ibiporã receberam um total de R$100 mil

Fotos Crédito: Arquivo/NCS/PMI

Fonte: Caroline Vicentini/NCS/PMI

O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de Ibiporã receberam recentemente um repasse de R$200 mil proveniente do governo estadual, por meio da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), para aquisição de equipamentos para essas unidades.


Setenta e oito municípios paranaenses assinaram a adesão ao cofinanciamento estadual do incentivo denominado Aprimora CRAS e CREAS, para repasse de R$ 12 milhões, conforme critérios pactuados na CIB – Comissão Intergestora Bipartite e deliberado pelo Conselho Estadual de Assistência Social, por meio do FEAS – Fundo Estadual da Assistência Social.


Os repasses transferidos variam de acordo com o número de unidades presentes em cada um dos municípios, e devem ser usados na aquisição de itens como computadores, impressoras multifuncionais, móveis e utensílios e até veículos (se destinados ao uso exclusivo dos CRAS e/ou CREAS), entre outros bens.


Segundo a secretária de Assistência Social, Lívia Suguihiro, R$100 mil foram destinados ao CRAS e R$100 mil ao CREAS. “Para o CREAS já está definido que a verba será utilizada na compra de um veículo, visto que a unidade conta com apenas um automóvel e a demanda é grande. Já para os CRAS (Central e Gino Peretti – Terra Bonita) as equipes de trabalho ainda estão definindo a destinação do recurso”, explica a secretária.


O CRAS é a porta de entrada da Assistência Social pela comunidade. É uma unidade pública municipal, localizada prioritariamente em áreas com maiores índices de vulnerabilidade e risco social, onde são ofertados ações e serviços de proteção social básica, com o objetivo de fortalecer a convivência familiar e comunitária. O Cras promove a organização e a articulação das unidades da rede socioassistencial e de outras políticas, possibilitando o acesso de famílias, seus membros e indivíduos aos serviços, benefícios e projetos de assistência social.


Os serviços ofertados no CRAS são: acolhida, escuta qualificada, busca ativa, encaminhamento, acompanhamento familiar e visita domiciliar, serviço de convivência e fortalecimento de vínculos voltados às famílias e também aos idosos e, além do cadastramento e atualização do CadÚnico; orientações e atendimentos relacionados Programa Bolsa Família, Beneficio de Prestação Continuada (BPC) e Benefícios Eventuais. Em Ibiporã, as duas unidades do CRAS realizam uma média de 1.400 atendimentos mensalmente.


Já o CREAS é uma unidade pública da política de Assistência Social onde são atendidas famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados. A unidade deve, obrigatoriamente, ofertar o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI). No CREAS oferecem-se informações, orientação jurídica, apoio à família, apoio no acesso à documentação pessoal e estimula a mobilização comunitária, além de orientar e encaminhar os cidadãos para os serviços da assistência social ou demais serviços públicos existentes no município.

 

1 milhão em recursos

 

De acordo com a Secretaria de Assistência Social, nos últimos três anos a pasta recebeu mais de R$1 milhão em recursos dos governos estadual e federal. A verba foi aplicada na execução e aprimoramento dos serviços socioassistenciais prestados pelo Município, tais como aquisição de veículos, computadores, móveis, materiais permanentes e cursos profissionalizantes.


Além da gestão das unidades do CRAS e CREAS, estão sob responsabilidade da Assistência Social o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), por meio do Centro de Convivência dos Idosos (CCI) e o trabalho com adolescentes nas unidades Centro, Ambiental, San Rafael e Taquara do Reino; Conselho Tutelar; Casa Lar e programa Família Acolhedora. “Os recursos são importantes para agilizar e qualificar o atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade social, principalmente em um momento no qual os problemas na área social se agravam em função da crise econômica”, argumenta Lívia.