25/06/2020 15:39

As ações e estratégias do SCFV durante a pandemia

Com o distanciamento social, equipe do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos tem inovado nas ações e estratégias com as crianças e adolescentes

Sec. de Assistência Social, Ireny Sorge, com a equipe do SCFV

Fotos Crédito: Divulgação/Assistência Social

Fonte: Colaboração da Secretaria de Assistência Social

Em tempos de pandemia onde o distanciamento social é uma necessidade em função da COVID-19, a Secretária Municipal de Assistência Social tem se reunido com a equipe do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos –SCFV, objetivando traçar estratégias e ações inovadoras com as crianças e adolescentes atendidos, bem como suas famílias.

 


Utilizando o celular como ferramenta de interação, os educadores têm trabalhado a prevenção a situações de risco pessoal e social, fortalecendo a convivência familiar, promovendo a reintegração social por meio de atividades das mídias sociais, fazendo assim uso positivo da tecnologia, tornando as atividades mais atraentes

 


Os educadores sociais do SCFV Centro, Ambiental e Taquara do Reino desenvolverão tutoriais com temas importantes relacionados ao dia a dia das famílias, tais como: cuidados indispensáveis com a higiene do ambiente e auto cuidado; criação de artesanatos e comidas típicas relativos as diferentes culturas do nosso país;  reaproveitamento de materiais visando a preservação do meio ambiente, transformados em produtos de higiene e limpeza, bem como peças úteis a famílias. Além do caráter lúdico o aprendizado poderá se transformar em fonte de renda, considerando a necessidade  de se reinventar,  frente a nova realidade do país.



O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (tanto o Centro de Convivência do Idoso (CCI) quanto o antigo Cemic) trata-se de um serviço da Proteção Social Básica do Sistema Único da Assistência Social, regulamentada pela tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. Este serviço tem como objetivos complementar o trabalho social com a família, favorecer o desenvolvimento de atividades proporcionando troca de experiências e vivências, oportunizar o acesso a experiências e manifestações artísticas, culturais e esportivas e de lazer, bem como às informações sobre direitos e sobre participação cidadã, estimulando o desenvolvimento do usuário.

 


De acordo com a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, o Serviço de Convivência deve ser ofertado de forma a estimular as trocas culturais e a partilha de vivências, desenvolver o sentimento de pertença e de identidade, fortalecer os vínculos familiares, sempre sob a perspectiva de incentivar a socialização e a convivência familiar e comunitária.