Cultura e Turismo

 

Publicado em: 10/08/2022 11:48 | Fonte/Agência: Jaime Kaster - Jornalista/ SMCT/PMI

Cine Teatro de Ibiporã em festa no dia 11 de agosto

Para comemorar o aniversário do seu palco maior das artes, Município promove o evento

Whatsapp

 

O Cine Teatro Padre José Zanelli, de Ibiporã, está em festa no mês de agosto e para celebrar os 34 anos do palco maior das artes e da cultura no Município, inaugurado em 1988, a administração municipal, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (SMCT), promove na próxima quinta-feira (11/08), a partir das 19h30, "Memórias de um Diamante", uma festa que terá teatro, depoimentos na tela do cinema, trechos de um musical que marcou época em 1958, depois em 1988 (na inauguração do cine teatro), e fechará com apresentação especial da Big Band de Arapongas.

O tema é "Memórias de um Diamante", porque o teatro é um dos "diamantes" de Ibiporã, que está celebrando este ano seu Jubileu de Diamante, os 75 anos de emancipação política de Ibiporã (1947-2022).

Por este palco já passaram atores e atrizes como Antônio Fagundes, Tarcísio Meira e Glória Menezes, companhias internacionais que vieram para o FILO (Festival Internacional de Teatro), músicos como Ney Matogrosso, Hermeto Pascoal, Sá e Guarabira, Kleiton e Kledir, Almir Sater e tantos outros, além de orquestras sinfônicas e companhias de dança, como o ballet da Bielorrúsia e a Escola do Teatro Bolshoi. Sem falar na revelação de talentos de Ibiporã em várias áreas e nos festivais anuais (de teatro, de corais e de dança) que atraíam e ainda atraem para Ibiporã grupos de várias cidades do Brasil.


REVIVENDO "FLOR DE LÓTUS"

Para o evento deste dia 11 foram confeccionados painéis fotográficos que contarão parte dessa história logo no jardim de entrada do teatro. No interior, toda a ambientação e o figurino dos atores remeterá à opereta japonesa "Flor de Lótus", que marcou as famílias de Ibiporã em dois momentos: primeiro em 1958, quando foi dirigida e adaptada para o português pelo padre italiano José Zanelli (que havia chegado à cidade em 1948) e foi apresentada no Salão Pio XII, ao lado da Igreja Matriz.

São dessa época, por exemplo, as pioneiras Maria Ivone Peretti Bigati e Maria Rossato, que se reapresentaram depois em 1988, na programação de inauguração do Cine Teatro, que teve dois meses de espetáculos. Daí foi com uma nova montagem, dirigida por Rossato e por padre Bruno Turato, com a participação de músicos da Orquestra Sinfônica da UEL. Com direção musical de Marcos Pelisson e Ina Rossi Scmidt, a peça mobilizou as escolas e famílias da cidade na época, sendo encenada por mais de 50 pessoas.

"Foram várias apresentações no ano, inclusive uma delas no Teatro Ouro Verde, em Londrina", recorda a secretária de Cultura de Ibiporã, Lourdes Narcizo, que acompanhou os espetáculos e uma filha sua, Laurisa, era uma das vozes e personagens do musical. "Todos os que participaram da peça e nossa comunidade japonesa, representada pela ACEI, estão sendo convidados para relembrar esse momento histórico que marcou o nosso Cine Teatro", acrescentou a secretária. 

Haverá uma esquete teatral relembrando a peça; depois, na tela do cinema, memórias de alguns personagens da época, seguida de trechos do musical ao vivo. E para fechar a noite, a Big Band tocará um repertório festivo.